Pra quem quiser me visitar....
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
Quinta, 22 Fevereiro 2018

Hotel Casa Oaxaca e o prazer dos sabores desconhecidos

Casa Oaxaca

Acredito que os lugares que nos marcam verdadeiramente seguem vivos dentro de nós por muito tempo, antes que as lembranças comecem a se dissipar na espuma dos dias. Foi assim com o hotel Casa Oaxaca, onde estive em dezembro passado. Parece que foi ontem. Quase posso sentir o perfume e o calor do chocolate de agua com que se iniciavam minhas manhãs.

O desjejum, servido no pátio da bela construção histórica (que no passado acolheu trabalhadores empenhados no erguimento do Convento de Santo Domingo), era um exercício diário de descobertas. Eu alimentava minha zona de conforto com uma generosa xícara de chocolate (com chiles, especiarias e água – em vez de leite) e deliciosos pães com consistência de bolo (ora de nozes, ora de banana), que chegavam ainda quentes no cesto. Depois disso, me permitia aventurar por sabores que, quando não eram absolutamente inéditos pra mim, eram pouco familiares em sua forma mais autêntica.

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Me encantei com o mamey, que descobri ser da família do sapoti, uma de minhas frutas favoritas. Me surpreendi com a quantidade de salsa que escondia os chilaquiles. Devorei as delicadas quesadillas. Duvidei que fosse uma boa ideia começar o dia com uma caçarola de feijão preto, mas ainda assim tomei uma colherada – e, confesso, sonhei com um improvável almoço em que me trouxessem uma boa porção de arroz branco com um tanto daquele feijão.

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Ali tive ainda o prazer de experimentar, como acompanhamento de outras refeições, as melhores tortillas e tostadas que me foram apresentadas durante a passagem pelo México. Não houvesse tantos bons motivos para desejar voltar àquele lugar, este seria suficiente.

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca

Casa Oaxaca – García Vigil 407, Centro Histórico - Oaxaca

www.casaoaxaca.com.mx

 

Comentários:
em 22-02-2018
por: Zenon Marques Tenorio
Anotado para quem sabe um dia. Excelente descrição que dá até água na boca.
em 23-02-2018
por: Simone
A descrição fluida, bem redigida e sobretudo inspirada nos carrega imediatamente ao México que vive em sonhos ocultos.
Vai para o caderninho dos sonhos de viagem.
em 23-02-2018
por: Constance Escobar
Simone e Zenon, anotem, sim, no caderno de sonhos. É um lugar especial. Vale a pena.
em 05-03-2018
por: Neide
Amo seus posts.São muito detalhados com fotos lindas. Coloco tudo na minha lista de desejos.
em 07-03-2018
por: Constance Escobar
Obrigada, Neide.
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: