Pra quem quiser me visitar....
  • Privilégio no menu do dia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
Quinta, 22 Maio 2014

Pirouette: oásis em Les Halles

Pirouette Paris

Uma das refeições mais prazerosas nessa minha passagem por Paris aconteceu no Pirouette, um oásis no estranho entorno de Les Halles. O lugar me ganhou de cara. O bonito salão com paredes envidraçadas voltadas pra rue de la Grande Truanderie tornava difícil a tarefa de tirar os olhos da cidade e trazê-los pro bem resolvido cardápio. A proposta de uma abordagem atual da cozinha de bistrô dava o tom da feliz equação onde boa comida e bons preços encontrariam correspondência.

Pirouette Paris

O menu de almoço, que incluía entrada e prato principal por 18 euros, era de fazer rir daquilo que nos impingem como almoço executivo no Rio de Janeiro. Começava com a delicadeza da fregola sarda em manteiga de brócolis, contracenando com o saboroso sabodet, embutido feito de cabeça de porco.

Pirouette Paris

Entre os dois pratos do dia, ficamos com o delicioso onglet com batatas assadas.

Pirouette Paris

Já o menu Pirouette, por 40 euros, consistia em entrada, prato e sobremesa, a escolher entre várias opções. A entrada eleita, tempura de polvo com endívias e maionese, era muito gostosa, mas ficava à sombra da fregola sarda.

Pirouette Paris

Como principal, não pude resistir ao pato com kinkan, aspargo e pedacinhos de pé de porco empanados. A carne poderia estar menos cozida, mas, ainda assim, o prato era uma delícia: aspargo crocante, carne saborosa, molho equilibrado, pontuado pela sutil doçura da kinkan. O pé de porco, pra quem é fã do bicho como eu, era um bem-vindo bônus: pede-se pato e ainda se ganha porco.

Pirouette Paris

O desfecho não poderia ser outro: o riz au lait da casa, que faz jus à fama que já tem. Não bastasse ser tão gostoso, chegou à mesa ao som de Duke Ellington e John Coltrane. O que mais eu poderia querer?

Pirouette Paris

 

Pirouette –  5, rue Mondétour – 1er arrondissement

Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: