Pra quem quiser me visitar....
  • Privilégio no menu do dia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
Terça, 02 Abril 2013

Mini Palais: Eric Frechon no Grand Palais

Mini Palais Paris

Não fossem as circunstâncias que me levaram ao Mini Palais em janeiro, talvez ainda demorasse a conhecer a brasserie contemporânea anexa ao Grand Palais. Não sei dizer por que, mas nem o cardápio assinado por Eric Frechon, nem as boas resenhas que já havia lido sobre a casa tinham despertado em mim entusiasmo suficiente pra colocá-la na minha relação de prioridades em Paris. Mas a notícia de que o restaurante estaria aberto no primeiro dia do ano levou-a imediatamente ao topo da lista. Ao saber, então, que o Grand Palais estaria aberto naquele dia, me acenando com exposição de Edward Hopper, me senti dona de um bilhete de loteria premiado. Não pensei duas vezes.

Ao chegar, a fila na porta dava a medida da falta de originalidade da minha ideia. O céu de azul irreal me inspirava otimismo e me fez resistir uma hora na espera por Hopper. Mas o frio era muito e trouxe de volta minha habitual impaciência, desencorajando-me diante da promessa de pelo menos mais uma hora na fila. Segui pra segunda parte do programa. A mesa reservada com antecedência garantia que a investida no Mini Palais seria mais bem-sucedida.

Mini Palais Paris

Mini Palais Paris

Quando me acomodei, ainda pensava na exposição perdida, mas a gougère tamanho GG que nos deu as boas-vindas me fez esquecer. Uma nuvem debaixo da crosta crocante, deliciosa, talvez a melhor que eu já tenha comido. Comeria mais uma, mas fiquei só na intenção. Me arrependo até agora.

Mini Palais

Comecei com uma gostosa conserva de sardinhas, acompanhada de excelente pão e ótima manteiga.

Mini Palais

Segui com o penne com chorizo e manjericão, que, confesso, pedi sem muita fé. Cada garfada a restabelecia. Massa no ponto certo, economia no molho, pontuado por tomates doces e pedacinhos de chorizo. Simples e muito gostoso.

Mini Palais

O anticlímax ficou por conta da sobremesa. Na versão meio inexpressiva do clássico Mont Blanc, só brilhava o sorvete de baunilha. O lindo baba ao rum da mesa vizinha me dava certeza de que havia escolhido mal.

Mini Palais

De modo geral, encontrei ali boa comida, ainda que não especial – à exceção da atordoante gougère, merecedora de todas as loas. Não são poucos os lugares onde já comi melhor em Paris. Mas, inclusive por estar onde está, considero voltar. Afinal, o lugar me soa como ótimo desfecho a uma visita ao Grand Palais. Especialmente, se o inverno estiver distante e houver a promessa de uma mesa na varanda, que muitos garantem ser das mais agradáveis da cidade.

 

Mini Palais – Avenue Winston Churchill - Grand Palais - 8ème

http://www.minipalais.com

 

Comentários:
em 15-05-2014
por: Daniela Crispim Silva Carneiro
Olá Constance. Achei seu blog através da dica de uma amiga. Irei a Paris no fim do mês de Maio e dia 31 de maio completo 4 meses de casada com meu marido e queríamos jantar num lugar charmoso porém com preços bastante acessíveis (estamos fazendo quase que um mochilão por Paris). Você tem alguma dica?
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: