Pra quem quiser me visitar....
  • Privilégio no menu do dia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
Quinta, 07 Março 2013

Suculent, casa de comidas: sob o céu do Raval

Suculent Barcelona

Nem só de refeições especiais é feita uma viagem. Entre um e outro momento mais marcante à mesa, é importante entregar-se a refeições mais corriqueiras, menos pretensiosas, que se prestem a vestir o desejo do dia. No domingo em que tomei a direção do Suculent, restaurante que tem como um de seus sócios o chef Carles Abellan, o céu de Barcelona encarnava um azul que tornava difícil fazer qualquer coisa que não fosse olhar pro alto. O que eu queria naquele fim de manhã era um lugar onde pudesse tirar prazer de pratos simples e tradicionais, nada que exigisse de mim grandes exercícios intelectuais. Se possível, com acesso a uma nesga de céu que me lembrasse o dia que me aguardava do lado de fora.

Suculent Barcelona

Definindo-se como “casa de comidas”, designação que seus donos preferem à nomenclatura restaurante, trata-se de endereço onde se aborda a cozinha da terra sem ortodoxia, mas também sem modernice. E com competência. Estava no lugar certo.

Suculent Barcelona

Começamos com tempura de calçots com molho romesco. Os calçots, algo como um encontro entre cebolinha e alho-poró, são uma tradição na Catalunha (um dia ainda hei de participar de uma calçotada) e têm no romesco uma bela companhia. Não eram muito sequinhos, mas estavam gostosos.

Suculent Barcelona

Seguimos com as batatas Suculent, um cone de batatas bolinha mergulhadas em molho romesco e aïoli. Deliciosas, ainda que não tão bravas – o romesco podia ser mais picante.

Suculent Barcelona

Com as sardinhas defumadas em escalivada, encerramos o tapeo e abrimos caminho pra um perfumado arroz caldoso que trazia almejas, anêmonas-do-mar, butifarra negra e abobrinha.

Suculent

Suculent Barcelona

Finalmente, uma bela versão de tocinillo del cielo: creme de baunilha, creme de ovos e um levíssimo merengue. Cada mergulho da colher naquele copo era imediatamente seguido de uma interjeição.

Suculent

Acrescento que o almoço aconteceu numa das mesas que a casa mantém na calçada, diante da Rambla del Raval, de onde se abria, não uma nesga, mas o céu inteiro sobre nós. Naquela tarde, o Suculent, sem grandes arroubos nem pratos que me marcarão por uma vida, me deu exatamente aquilo de que eu precisava.  

 

Suculent – Rambla del Raval 43 - Barcelona

http://www.suculent.com

 

 

Comentários:
em 08-03-2013
por: Suculent
Hola Constance.
Muchas gracias por compartir con tus lectores tu visita al nuestra casa de Comidas, Suculent.
Nos motiva a seguir por el mismo camino ;-)
Un abrazo

Equipo Suculent
http://www.twitter.com/suculentBCN
http://www.facebook.com/suculentbcn
em 15-03-2013
por: Carolina
Oi Constance,
E quanto ao preço?
em 17-03-2013
por: Constance
A conta desse almoço foi menos de 60 euros, Carolina.
Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: