Pra quem quiser me visitar....
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
Terça, 20 Junho 2017

Barcelona: uma cidade, muitas fomes

Barcelona

Na última passagem por Barcelona, percebi que há quase uma década venho seguindo um ritual em todas as visitas à cidade: ao chegar, a primeira refeição acontece invariavelmente no Cal Pep, um dos meus balcões favoritos no mundo.

Em março, quando lá estive pra acompanhar a terceira edição do Parabere Forum, não foi diferente. Deixei a bagagem no hotel e segui imediatamente pra Plaça de les Olles, sabendo exatamente o que desejava comer: almejas, croquetas, tortilla – a melhor de que tenho notícia. Ali, a memória jamais me traiu: à minha espera, sempre o mesmo ambiente vibrante, a mesma comida impecável, tudo intensificado pelo prazer do reencontro.

Cal Pep Barcelona

Cal Pep Barcelona

Cal Pep Barcelona

Com a saudade remediada no almoço, eu me permiti tomar novos rumos no jantar. Fui conhecer a Bodega 1900, bar onde Albert Adrià homenageia as tradicionais bodegas. Faz isso à sua maneira, o que significa dizer que instalações, serviço e cozinha estão além do que se poderia esperar de um “boteco”.

Barcelona Bodega 1900

Barcelona Bodega 1900

Ao longo de um par de horas, sem me dar conta, eu me indagava se o celebrado bar de Adrià era capaz de me proporcionar tanto prazer quanto o bom e velho balcão predileto. A resposta era vacilante. As croquetas da Bodega 1900, por exemplo, jamais resistiriam a tal comparação. O mesmo se diga dos grãos de bico com polvo e pé de porco. Já o pan con tomate da casa, delicado e crocante, era imensamente superior a boa parte dos exemplares que já experimentei nos bares catalães. Uma lição de como o simples se agiganta quando executado com maestria. Comi quatro deles e comeria outros mais se a prudência não me houvesse impedido. A mesma superioridade se evidenciava na oferta de sobremesas. A tarta de queso, acompanhada de sorvete de baunilha, era especialmente boa, um veludo.

Barcelona Bodega 1900

Barcelona Bodega 1900

Barcelona Bodega 1900

Barcelona Bodega 1900

Ao fim da noite, a dúvida se instalou: fazia sentido a comparação? Seria necessária ou ao menos útil? Naquele momento me pareceu apenas um exercício tolo, estéril. Por que ceder a ele, se os desejos que nos movem são tão cambiantes, se nos levam a diferentes escolhas, dependendo de nosso estado de espírito ou de tantas outras circunstâncias? Por que limitar as possibilidades se a cidade as amplia? A sorte de estar num lugar como Barcelona, capaz de saciar tantas e diferentes fomes, há de ser celebrada somando, não subtraindo.

Cal Pep - Plaça de les Olles, 8

https://www.calpep.com/

Bodega 1900 - Carrer de Tamarit, 91

https://www.bodega1900.com/

Quinta, 31 Janeiro 2013

De volta ao Cal Pep

Cal Pep

Ao aterrissar em Barcelona, eu sabia bem onde desejava fazer minha primeira refeição. Que ninguém me viesse com o novo restaurante da moda. Naquele sábado de céu ofensivamente azul pra quem ainda trazia uma Paris cinzenta na retina, tudo o que eu queria era a segurança do veterano balcão onde fiz uma das minhas melhores refeições na última visita à cidade. No tabuleiro da corrida pelas mesas da vez, é preciso, de tempos em tempos, voltar duas casas e permitir-se o conforto dos caminhos sabidos.

Cheguei ao Cal Pep cheia de fome e saudade. Ao sair dali, tinha o primeiro problema resolvido. O segundo não tem remédio. Vai continuar me acompanhando enquanto eu não me mudar pra Catalunha...

Cal Pep

A fila, que começa antes mesmo de as portas se abrirem, seria um problema, não fosse aquele um dos poucos lugares onde enfrento a espera sem mau humor. Vejo até algum valor nela. Afinal, já que não há menu escrito ali, você tem a chance de ficar de olho no balé de pratos na bancada – tem coisa melhor que cobiçar o prato alheio? – e, ao ser acomodado, já sabe o que pedir. Qualquer que seja o pedido, a tradicional cozinha do Cal Pep deixará seu recado: simplicidade, frescor e sabor. Fórmula tão rara quanto aparentemente banal.

Cal Pep

Começamos com deliciosas almejas. O perfume antecipava o que viria. A vontade era mergulhar naquele caldo.

Cal Pep

Em seguida, como não poderia deixar de ser, espinacas.  Na providencial companhia de grãos de bico e bacon, o prato é um dos clássicos da casa.

Cal Pep

Um par de croquetas só pra não perder o hábito...

Cal Pep

Por fim, um ansiado reencontro. Extremamente cremosa, sob uma colherada de perfeito aïoli, a melhor tortilla a que já fui apresentada continuava exatamente como me sugeria a memória.

Cal Pep

Quem cunhou a tal máxima que recomenda não voltar aos lugares onde se foi feliz não devia saber muito bem o que estava dizendo...

 

Cal Pep – Plaça de les olles 8 – Barcelona

http://www.calpep.com/

© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: