Pra quem quiser me visitar....
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
Sexta, 20 Maio 2011

New York bites

Dessa vez, minha passagem pela cidade tinha mais reservas em restaurantes do que permitiriam o bom senso e o número de dias por lá. Ainda assim, arrumei espaço pra uma mordida aqui, outra ali, entre as refeições. Uma viagem sem esses pequenos bocados, pra mim, não tem a menor graça...

Fui conhecer um hit nova-iorquino que eu, até então, subestimava: o grilled corn do sempre lotado Café Habana, em Nolita. Agradeço à Lea Dorf, que me arrastou pra conhecer o que é uma das suas predileções na vida. Trata-se de uma deliciosa espiga de milho grelhada, coberta com queijo e uma chuva de chili, no melhor estilo mexicano.

Uma parada obrigatória em todas as minhas visitas à cidade: Gray’s Papaya, clássico pé-sujo nova iorquino. O lugar é realmente uma biboca, mas os caras trabalham numa perfeita linha de montagem. O cachorro-quente sai sempre igual. Sempre bom, não tem erro. Salsicha fininha e tostada. Pão sempre quentinho, com casquinha crocante. Nunca sei se prefiro o simples – só com ketchup e mostarda – ou o completo – com sauerkraut e molho de cebola. Como um, como outro, depois mais outro e saio sempre sem decidir. No fundo, esse é o espírito da coisa: manter a dúvida, que me leva sempre de volta.

E, claro, não pode faltar a pausa pro cheesecake. O que fui conferir já foi eleito o melhor da cidade pela New York Magazine. Falo da Lady M, uma pequena loja no Upper East Side, a poucas quadras do Metropolitan. Pequena, mas notável. Toda branquinha, só o que sobressai é o colorido das belas tortas dispostas no balcão.

Lá o cheesecake atende pelo nome de “Gâteau Nuage”. Não se brinca assim com uma francófila... Já estava eu nocauteada antes mesmo de experimentar. E o nocaute era justo. Fina crosta de graham-cracker. Creme consistente, mas sem perder a necessária leveza. E extremamente aveludado. A cereja do bolo: uma delicada cobertura de sour cream. Não sei se é o melhor de Nova Iorque, mas é bom demais...


Café Habana – 17 Prince St (com Elizabeth St) – Nolita
http://www.cafehabana.com/
Gray’s Papaya – 402 Sixth Ave (com 8th St) / 2090 Broadway (com 72nd St) / 539 Eighth Ave (com 37th St)
Lady M – 41 East 78th St (entre Madison e Park) – Upper East Side
http://www.ladymconfections.com/



As atualizações do blog também estão no meu twitter.

 

Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: