Pra quem quiser me visitar....
  • Privilégio no menu do dia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
Quinta, 18 Abril 2013

Saveurs Bretzel: fast food à alsaciana

Saveurs Bretzel Obernai

A poucos passos de seu restaurante – o Bistro des Saveurs, em Obernai, aonde espero voltar um dia –, o chef Thierry Schwartz mantém um segundo estabelecimento, a pequena padaria/ sanduicheria Saveurs Bretzel. Como na manhã seguinte ao meu jantar no Bistro des Saveurs eu ainda pensava nos deliciosos pães que acompanharam a refeição, não tive dúvida de que rumo tomar no café da manhã.

saveurs bretzel

A loja é pequena, não há espaço pra comer no lugar. Mas as lindas praças do vilarejo resolvem esse problema. Além de especialidades locais – como bretzels e kugelhopf –, há vários pães e opções de recheios para sanduíches preparados na hora. A partir do horário de almoço, montam, em frente à entrada, uma banquinha onde vendem cachorros-quentes, bretzels e ostras.

saveurs bretzel

saveurs bretzel

O kugelhopf não me agradou, achei a massa seca e pesada. Já o bretzel de queijo com bacon era muito gostoso. Melhor ainda, o sanduíche que escolhi pra começar o dia: o pão, feito com massa de bretzel, abraçava um naco de Munster, confit de cebola e fatias de um delicioso presunto defumado de um produtor da região. A sensação era a de abocanhar a Alsácia numa só mordida.

saveurs bretzel  

Saveurs Bretzel - 7 Rue du Marché - Obernai

Segunda, 25 Fevereiro 2013

Estrasburgo: de winstub em winstub

Strasbourg winstubs

Na Alsácia, como os alsacianos. Pra quem deseja conhecer a cultura gastronômica daquele pedaço de terra onde França e Alemanha se encontram, os winstubs são obrigatórios. Tão fundamentais no cenário local quanto os cafés parisienses, os diners nova-iorquinos ou os botecos cariocas.

No DNA desses estabelecimentos está a atmosfera de taberna e a cozinha voltada pro receituário tradicional da região. São lugares onde as pessoas buscam acomodar sua fome em pratos familiares. Os cardápios, arquitetados em torno de especialidades locais, são, em boa parte, um exercício de glorificação do porco – que é, de fato, das melhores coisas que se pode comer ali. Quem conhece minhas preferências poderia imaginar que passei alguns dias comendo carne de porco no café da manhã, no almoço e no jantar. Devo confessar que foi mais ou menos isso o que sucedeu...

Strasbourg winstubs

 

LE CLOU

Le Clou Strasbourg

Um dos mais tradicionais winstubs de Estrasburgo, surpreendentemente, foi a mais fraca das minhas incursões.

A tarte à l’oignon era uma bobagem.

Le Clou Strasbourg

Muito melhor estava o bibeleskas, especialidade alsaciana que mistura queijo branco cremoso, pedacinhos de bacon, salsa e cebolinha e batatas sautées – estas, aliás, são onipresentes nos winstubs, acompanhando uma série de pratos; chegam meio bagunçadas, feias até, mas sempre gostosas. Aquela mistura me parecia melhor a cada colherada.

Le Clou Strasbourg

Enfim, a incontornável choucroute garnie: repolho fermentado acompanhado de salsichas e uma variedade de partes da anatomia suína. Combinação que adoro, mas que ali me pareceu deslizar no excesso de acidez do repolho.

Le Clou Strasbourg

 

ZUEM STRISSEL

Zuem Strissel Strasbourg

Zuem Strissel Strasbourg

Uma instituição em Estrasburgo, tido como o mais antigo winstub da cidade.

Experimentei a flammekueche, a tarte flambée alsaciana, que, segundo opinião de muitos, encontra naquele endereço uma de suas melhores versões. Massa finíssima – assada até as bordas ficarem crocantes como biscoito – coberta com crème fraîche, bacon e cebolas. Uma delícia.

Zuem Strissel

Mas o que deixou a mesa em silêncio foi o soberbo jarret de porco braseado na cerveja, acompanhado de batatas sautées.

Zuem Strissel

 

FINK’STUEBEL

Fink'Stuebel Strasbourg

Fink'Stuebel Strasbourg

Começamos com uma boa terrine de foie gras com gelée de Gewürztraminer e uma tarte à l’oignon que superava a que experimentei no Le Clou.

Fink'Stuebel Strasbourg  Fink'Stuebel Strasbourg

Como adverti no início do post, quando gosto de uma coisa, posso me tornar assustadoramente repetitiva. De modo que não resisti ao joelho de porco. Extremamente saboroso, pele crocante, um colosso. O acompanhamento era uma perfeita salada de batatas: depois de cozidas num bouillon, recebem o acréscimo de mostarda e cebolas, nada mais.

Fink'Stuebel Strasbourg

Fink'Stuebel Strasbourg

Fink'Stuebel Strasbourg

Pra encerrar, pera cozida no vin chaud, com sorvete da fruta e creme batido.

Fink'Stuebel Strasbourg  Fink'Stuebel Strasbourg

Uma boa sobremesa. Mas foi preciso recorrer ao caderninho pra me lembrar dela. Podia jurar que o que encerrou meu último jantar em Estrasburgo foi o infernal jambonneau. Minha memória tem lá seus caprichos e insiste em privilegiar o que lhe pareça especial.

 

Le Clou – 03 rue du Chaudron

http://www.le-clou.com/

Zuem Strissel – 05 Place de la Grande Boucherie

http://www.strissel.fr/

Fink’Stuebel – 26 rue Finkwiller

http://finkstuebel.free.fr

© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: