Pra quem quiser me visitar....
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • Restaurante Roberta Sudbrack fecha as portas no Rio de Janeiro: o fim pode ser uma ponte?
Segunda, 18 Outubro 2010

Roma em pequenos bocados

Toda cidade que valha a pena tem muitos tesouros gastronômicos a revelar entre um almoço e um jantar. Por isso, jamais me permito perder a liberdade de vagar pelas ruas entrando em padarias, sorveterias, confeitarias, mercados. Isso, pra mim, é tão importante quanto sentar pra comer num restaurante  estrelado. Isso é sentir a cultura da cidade pulsar. E, acreditem se quiserem, já troquei muita estrela Michelin por uma agenda mais livre, com espaço pra dedicar a esse exercício de que não abro mão. Com Roma não seria diferente.

Afinal, o que pode ser mais gostoso do que percorrer os fornos de da cidade atrás da melhor pizza al taglio? Fiz algumas investidas em dois dos endereços considerados os melhores: Antico Forno Roscioli e Forno Campo de Fiori. Ambos produzem uma soberba pizza bianca, típico pão romano que é uma verdadeira maravilha. No Roscioli, gostei muito também da pizza que era apenas pão e molho de tomate, nada mais. E no Forno Campo de Fiori, gostei especialmente a pizza de flor de abobrinha.

 

Mais gostoso que isso só se entregar às muitas sorveterias romanas na tentativa de eleger a favorita. Melhor ainda: presenciar um grupo de romanos discutindo sobre qual é, enfim, a melhor gelateria da cidade e descobrir que a eleita por eles era também a minha eleita.

Passei pela famosa Giolitti, que achei turística demais e não tão boa quanto as outras que visitei...

Estive na Gelateria dei Gracchi, que é muito, muito boa. Os sorvetes de zabaione, de avelãs, de pistache e de pinoli que experimentei ali eram incríveis.

Mas, a minha eleita foi a sensacional San Crispino. O sorvete de crema al Barolo, o de zabaione e o de mel, que leva o nome da casa, estão entre as melhores lembranças que trago de Roma.

Certa manhã, não resisti a comprar uma caixa de soberbos fragolini di bosco no mercado de Campo de Fiori, carregar comigo até a San Crispino, pedir um copo do sorvete de mel e comê-lo com os morangos. O que já era bom ficou ainda melhor...

Falando no mercado da piazza Campo de Fiori, eis outro programa imperdível em Roma. O colorido e a vibração daquelas bancas capturam até o olhar mais distraído. Não há como não se deslumbrar e querer levar tudo pra casa: os fragolini, os tomates, as flores de abobrinha, os peperoncini, os porcini, os azeites, os vinagres balsâmicos, os belos pedaços de pecorino... Uma deliciosa tortura pra quem é louco por comida.

Me pergunto se é possível sentir de verdade uma cidade sem se entregar a seus meandros, a esses pequenos prazeres revelados a cada esquina...


Antico Forno Roscioli – Via dei Chiavari 34
www.anticofornoroscioli.com
Forno Campo de Fiori – Campo de Fiori 22 / Vicolo Del Gallo 14
www.fornocampodefiori.com
Giolitti – Via Uffici Del Vicario 40
www.giolitti.it
Gelateria dei Gracchi – Via dei Gracchi 272
Gelateria San Crispino – Piazza della Maddalena 03 / Via della Panetteria 42
www.ilgelatodisancrispino.it
As atualizações do blog também estão no meu twitter.

Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: