Pra quem quiser me visitar....
  • Privilégio no menu do dia
  • yam'Tcha, em Paris: no tempo da delicadeza
  • A Casa do Porco Bar: Jefferson Rueda finalmente em casa
  • De São Bartolomeu a Belo Horizonte: Minas Gerais, antídoto contra a superficialidade
  • Uma nova geração de padeiros no Rio de Janeiro: Araucária Pães Artesanais e Maison do Zé
  • Provence: o mercado de Saint-Rémy
  • Curiango Venda e Cozinha: uma bela história de êxodo urbano na Serra da Bocaina
  • Aïoli no Bistrot du Paradou
  • “Redefinindo Sustentabilidade”: Parabere Forum chega à terceira edição debatendo a igualdade de gênero na gastronomia
Terça, 05 Julho 2011

Blue Bottle Coffee: boa surpresa em Williamsburg

Adoro pausas. Meus dias são cheios delas. Pra um cafezinho, pra um chá, pra um pão na chapa com café com leite. Momentos que, muitas vezes, não vão além de breves cinco minutos. Parece que não, mas faz uma tremenda diferença em qualquer rotina. Com as minhas viagens não é diferente. Aonde quer que eu vá, gosto de andar, andar muito, de olhos bem abertos, pra sentir o lugar. Mas as longas caminhadas são sempre repletas de parênteses. Em alguns deles, às vezes, encontro boas surpresas.

Foi assim com o Blue Bottle Coffee, no Brooklyn. Andando por Williamsburg, ele surgiu no meio da nossa rota, se oferecendo, convidando a entrar. O lindo imóvel, o apelo do balcão, o burburinho das pessoas, o cheiro de café... Não dava pra resistir. Entramos. E descobrimos um verdadeiro templo do café. Confesso que não sou uma grande apreciadora da bebida. De duas a três vezes por dia, costumo ir a seu encontro, mais pela paixão que tenho por rituais e por aquele apreço às pausas do que por qualquer outro motivo. E o Blue Bottle, além de ponto de encontro de apreciadores é um lugar que se presta a esse tipo de ritual como poucos.

A carta tem grãos orgânicos selecionados, blends especiais e surpresas como o café gelado ao estilo de New Orleans - que me arrependi de não ter experimentado... Ainda, um drip bar que atrai todos os olhares. O maquinário, ao fundo, indica que eles mesmos torram e moem seus grãos. E a devoção ao artesanato e à qualidade do produto, ali, vai além do café. No melhor estilo locavore, deixam claro que o leite que usam é de uma fazenda em Upstate e que o chocolate é do vizinho de bairro Mast Brothers (que está longe de fazer chocolates que estejam entre os meus favoritos, mas tem todo meu respeito pela bela proposta de trabalho). Eis a receita do seu sucesso.

Como se não bastasse, um balcão com sugestivas companhias pro café que você escolher. Fomos de s’mores e um incrível sablé de óleo de oliva, pra acompanhar um espresso e um coado. Ficamos ali por uns minutos, saboreando a atmosfera daquele lugar, e saímos felizes feito crianças com a deliciosa descoberta...

Dias depois, li uma notinha na Food & Wine, recém chegada às bancas, e vi que se tratava da primeira sucursal na costa leste de uma aclamada companhia de Oakland, que virou rede de sucesso em São Francisco e tinha acabado de abrir as portas no Brooklyn dois meses antes. Minha primeira reação foi pensar que meu radar estava funcionando bem. A segunda foi me dar conta de que minha pesquisa é que não estava tão boa assim e me deixou escapar a novidade. Quer saber? Pode até ser que a sensação de “descoberta” tenha sido apenas fruto da negligência da pesquisa de campo... Só sei que foi muito mais gostoso chegar lá pelas minhas pernas do que guiada por qualquer revista ou jornal.

 

Blue Bottle Coffee – 160 Berry Street – Williamsburg
http://www.bluebottlecoffee.net/

As atualizações do blog também estão no meu twitter.

{jcomments on}

Deixe seu comentário:
© 2012 Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados - Design de Branca Escobar

Envie para um amigo:

*
*

Fale comigo:

*

Assinar Newsletter:

Remover email: