posts anteriores

Abril 2015

Ainda não era meio-dia quando cheguei à penúltima edição da feira de comida Junta Local e já havia na Casa da Glória mais gente do que minha fobia de multidões me permite suportar. Pensei em ir embora. Felizmente, reconsiderei. Não consegui alcançar todos os pontos – era um mar de...

Março 2015

Sou crítica contumaz de boa parte dos prêmios de gastronomia, nacionais e internacionais. Por um simples motivo: são poucos os júris em que se imponha anonimato aos jurados ou em que haja ao menos a certificação de que, ainda que não circulem anonimamente, eles procedam com autonomia e isenção. Não...

Março 2015

A nova casa de Vitor Sobral em São Paulo inspira-se na informalidade e nos sabores francos das tascas portuguesas – permitindo-se o chef, aqui e ali, algumas licenças poéticas. Há um pequeno rol de pratos mais substanciosos, mas a essência do cardápio se desenrola em torno de conservas, petiscos e...

Fevereiro 2015

Valho-me das palavras de Guimarães Rosa na tentativa de antecipar minha defesa. O assunto deste post é daqueles que não sei abordar sem paixão. Sempre que vem à baila, acabo recebendo pedrada. Percebo que muita gente reputa exagerada minha costumeira ladainha, mas ainda não houve quem me fizesse mudar de...

Fevereiro 2015

Numa portinha escondida no hall de um prédio comercial no Brooklyn, Ayako Kurokawa produz precioso artesanato em matéria de confeitaria. O espaço é pequeno, meia dúzia de pessoas é o suficiente pra lotar a loja e complicar bastante o atendimento. Mas vale a pena ter paciência.

Do que experimentamos ali, só...

Fevereiro 2015

Pouco ou nada sei da autêntica cozinha mexicana. Por um simples motivo: nunca estive no México e acredito que, sem ter estado lá, ninguém pode se considerar conhecedor da culinária do país – falo da coisa real, não dos arremedos que se multiplicam mundo afora. Mas talvez não seja preciso...

Janeiro 2015

Sou bicho urbano. Meu bem-estar físico e mental depende da existência de cinemas, supermercados, livrarias e restaurantes num raio de cinco quilômetros de onde eu me encontre. Como ninguém é uma coisa só, parte de mim entra em conflito com essa excessiva dependência da urbe e suplica por hiatos de...

Janeiro 2015

Quando comecei a acompanhar a Ferro e Farinha nas redes sociais, há pouco mais de um mês, a casa tinha acabado de abrir as portas no Catete. O nova-iorquino Sei Shiroma se instalou no bairro depois de circular pelo Rio de Janeiro durante um ano, produzindo pizzas num forno improvisado...

Janeiro 2015

Véspera de Natal. Estávamos a algumas dezenas de quilômetros de distância do nosso destino quando o oceano irrompeu à beira da estrada. Tanta beleza, impossível não parar.

Entre nós e o mar, providencialmente, havia um restaurante. Nunca tinha ouvido falar, não tinha ideia se era bom ou mau, não sabia o...

Dezembro 2014

Como eu dizia no último post, o melhor de fazer um roteiro no Pará como o que fiz a convite de Ricardo Frugoli, foi a possibilidade de conhecer lugares e pessoas que o turista comum geralmente não acessa, vivenciar experiências que não costumam estar no script. Justamente por isso, alguns...

recentes 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 anteriores
© Pra quem quiser me visitar - Todos os direitos reservados

Envie para um amigo:

*
*

Assinar Newsletter:

Remover email: